Skip to content

BR-319. Necessária?

06/08/2010
tags:

A BR-319 tem extensão de 880 km e atravessa a área central da Amazônia. A rodovia acompanha o curso do rio Madeira e foi planejada como alternativa à rota fluvial entre Manaus e Porto Velho, já que o trajeto de barco pode durar até quatro dias.

Renato Crouzeilles, Priscilla de Paula Andrade Cobra e Luis Renato Bernardo, Ciência Hoje, 4 de agosto de 2010

O desmatamento é uma das principais ameaças a essa riqueza. Embora a devastação da floresta venha diminuindo desde 2004, estudos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) revelam que entre aquele ano e 2009 a Amazônia perdeu 92,2 mil km2, área pouco menor que a do estado de Santa Catarina.

Além da derrubada das árvores, são ameaças constantes à floresta amazônica a exploração ilegal de madeira, as queimadas, a caça e a construção de rodovias. Esses fatores podem ter efeitos bastante variáveis e influenciam na perda da diversidade de fauna e flora porque afetam as interações ecológicas, os regimes de água e podem levar a alterações climáticas, contribuindo para o aquecimento global.

A BR-319 tem extensão de 880 km – 98% no estado do Amazonas – e atravessa a área central da Amazônia. A rodovia acompanha o curso do rio Madeira e foi planejada como alternativa à rota fluvial entre Manaus e Porto Velho (pelo próprio rio Madeira e pelo rio Amazonas), já que o trajeto de barco pode durar até quatro dias.

A estrada foi aberta na floresta entre 1972 e 1973, na ditadura militar, e chegou a ser asfaltada, mas não recebeu manutenção nos últimos 20 anos. Hoje, são transitáveis normalmente apenas os trechos iniciais, de Manaus (AM) a Careiro-Castanho (AM) e de Humaitá (AM) a Porto Velho (RO), repavimentados em 2001. Agora, a recuperação da parte central, entre os quilômetros 250 e 655, está em processo de licenciamento ambiental pelo Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT).

Fácil acesso à floresta

A reativação da rodovia tem gerado discussões e desentendimentos entre diferentes setores da sociedade, principalmente entre os ministérios dos Transportes e do Meio Ambiente. Ambientalistas e conservacionistas são contra sua reabertura, que ligaria o arco do desmatamento em Rondônia à Amazônia Central, região onde a floresta ainda é bem preservada e a presença humana é pequena.

O Ministério do Meio Ambiente fez uma série de exigências para a concessão de licença para a obra, algumas não integralmente cumpridas. Já o Ministério dos Transportes e a maioria dos moradores de Manaus querem a recuperação da rodovia, que reduziria o custo do escoamento da produção industrial da cidade para São Paulo e outros mercados do sul do país, além de facilitar os deslocamentos da população da área.

Os poucos moradores instalados ao longo da rodovia também têm esperança de que, com o asfalto, venha o progresso, mas receiam perder as terras que ocupam. O acesso difícil prejudicou a realização de estudos científicos na região, até hoje praticamente desconhecida. Apesar das dificuldades, a pesquisa aqui relatada buscou reunir dados sobre a fauna de mamíferos em diferentes trechos da BR-319 onde estão sendo avaliados seus possíveis impactos ambientais.

Anúncios
21 Comentários leave one →
  1. Mauricio Carvalho permalink
    21/10/2010 23:30

    A campanha desumana contra a BR-319 é mais uma evidência da falência ideológica do ambientalismo, em sua campanha contra os habitantes da Amazônia. A Amazônia não é uma terra santa a ser protegida a qualquer custo, já que a própria natureza um dia destruirá a Amazônia como destruiu 99% das espécies que já existiram no passado. Além disso a estrada traz progresso, melhor renda, educação, agricultura mais produtiva, moderna, mecanizada.
    Porque não uma campanha contra estradas asfaltadas no resto do mundo? Porque uma estrada em SP ou na China sofre menos oposição? A Mata Atlântica está mil vezes mais ameaçada que a Amazônia, nem por isso devemos quebrar o asfalto da Dutra e da Rio-Santos. Os ambientalistas acham que os habitantes da Amazônia não são seres humanos como os mesmos direitos.

  2. Tarciso Cavalcanti permalink
    02/01/2011 16:04

    O que é SER HUMANO? ter um carro,torcer por um time de futebol,matar sem motivo.ter mais do que o necessário para viver,ter poder para humilhar os semelhantes,ser um bruno do framengo (assim mermo)
    Õ CARA 90% DE TODO ESFORÇO DO SER HUMANO É A TROCO DO NADA
    Você ja pensou se 20% dos Humanos existentes puderem um dia olhar para dentro de si e para as estrelas de onde surgiram, quanta descobertas a serem feitas nas escolas e universidades e nas horas de “lazer” ao invés de dar porrada matando os adversários de times,gangue e outras mais; estivessem pesquisando um propósito de vida mais inteligente…….. ….

  3. Rui permalink
    02/01/2011 19:03

    aposto um braço como o autor do primeiro comentario mora na região amazônica e o do segundo não.

  4. juliana rodrigues permalink
    24/01/2011 13:36

    A questão vai muito além da simples questão econômica que envolve tal obra.
    Sou nascida e ainda residido em Manaus-Am. A cidade acompanhou nas últimas décadas uam explosão populacional causada pelo constante êxodo de pessoas vindas do interior para a capital. Áreas antes florestadas, com nascentes de igarapés, viraram grandes “invasões”, principalmente nas zonas norte e leste. A cada ano, surgem mais e mais bairros a partir deste desmatamento acelerado. O volume intenso de pessoas sobrecarrega todos os setores da cidade, desde os transportes públicos, os hospitais e escolas, até o mercado de trabalho. Aumenta também a marginalização,a produção de lixo e a poluição em geral no ambiente urbano.
    Por outro lado, as cidades do interior do estado sofrem com a pobreza, falta de recursos e serviços, enfrentando principalmente uma escassez completa de atividades geradoras de renda. Cresce a violência, o tráfico e a incidência do turismo sexual em muitas cidades interioranas.

    Dentro deste contexto, a BR 319 apresenta-se como uam questão delicada: como desenvolver preservando? É um fato inquestionável que a região norte é uma das regiões mais atrasadas do Brasil. A população pobre e pouco esclarecida jamais colocará a necessidade de preservar a floresta nos entornos da BR acima de suas necessidades, o que é natural e previsível. Reabrindo-se a BR em sua totalidade, é certo que haverão invasões de terra assim como há na área urbana, ou seja, desmatamento e perda de biodiversidade, além de poluição e desequilíbrios ecológicos diversos.
    Vendo-se pelo outro lado, A BR é fundamental para estimular a economia e facilitar o deslocamento de pessoas e produtos para as outras regiões brasileiras.Ainda assim, isso beneficia em grande parte a capital, o que irá gerar mais empregos. Novamente, a população do interior migrará para a cidade em busca dessas oportunidades, que geralmente serão vagas para ser mão-de-obra barata, já que essas pessoas não tem nenhum tipo de profissionalização e as vagas boas sempre ficam com pessoas de outros estados mesmo, invariavelmente.Além do que, as pessoas que migarrem para a beira da rodovia enfrentaram os mesmos problemas observados nas demais rodovias brasileiras, como a prostituição nas estradas, por exemplo.
    Então, eis o impasse.

    Sr.Maurício, a questão não é ser tratado como ser humano ou não. Se o senhor for um morador da região, o senhor sabe muito bem que se depender apenas da consciência ambiental do povo daqui e não houver nenhum tipo de política de conservação, em pouco tempo não haverá mais floresta. O senhor já parou para pensar que não há oposição à construção de estradas em São Paulo e na China por que quase não há mais nada para se preservar? A Mata Atlântica está praticamente acabada, pois no início do desenvolvimento da região sudeste, não houve a preocupação com a conservação deste bioma. O senhor espera que o mesmo aconteça com a Amazônia para que as pessoas comecem a se preocupar em preservar? O desenvolvimento dos povos amazônicos é necessário e urgente, mas não poderá ser a custa do sacrifício de um dos ecossitemas mais importantes do globo. Aqui neste caso, o conceito de desenvolvimento sustentável é importante e válido.
    Senhor Maurício,a sua justificativa para o desmatamento com “A Amazônia não é uma terra santa a ser protegida a qualquer custo, já que a própria natureza um dia destruirá a Amazônia como destruiu 99% das espécies que já existiram no passado” é infeliz. É o mesmo que afirmar que não se deve escovar os dentes depois do café da manhã porque depois de umas horas chega o almoço. A própria natureza destruirá a Amazônia? Provavelmente, um dia. Mas quem sabe em quantos anos isso acontecerá? 1, 100,1000 ou 1 000.000? E se as ações humanas ocasionarem seu fim prematuramente, como ficarão as condições de vida na Terra, inclusive para este mesmo povo amazônico que o senhor quer desenvolver imprudentemente?

    Então, esta é a questão vista por alguem de dentro. Não sou ambientalista e prefiro sobreviver se tiver que escolher entre minha vida e uma árvore. Mas não é melhor usar frutas, folhas e galhos ao invés de derrubar a árvore inteira?

  5. Rodrigo Silveira permalink
    27/02/2011 22:03

    moro em Humaitá/AM e é fácil morar no sul-sudeste, andar de carro (que mal faz alguns kilos de CO2 a mais na atmosfera??), comer filé mignon (muitas vezes produzido por gado da região amazônica… Rondônia por ex é um dos maiores produtores de carne do país) e falar “PRESERVEM A AMAZÔNIA” !!… quem mora na amazônia tbém quer comer filé e andar de carro zero… asfalto não traz só destruição, traz tbém remédio para cidades afastadas, médicos (que não querem abandonar o conforto do sul-sudeste…) para o norte, traz comida mais acessível, permite que as crianças dessas vilas isoladas estudem e etc… todo mundo quer progresso, então que venha o asfalto em todas as BRs; se o governo usar um pouco do que é roubado em Brasília (não vamos acabar com todo o roubo, afinal senão ninguém vai mais querer ser parlamentar, certo?? temos que ter os nossos belos representantes no “Detrito Federal”…) todo ano dá para comprar helicópteros e monitorar essa rodovia para que a destruição da floresta não avance e que ao mesmo tempo exista o progresso para os estados de Amazonas e Roraima beneficiados pela BR319… convido quem discordar do asfaltamento a vir fazer de carro comigo entre outubro-abril o trecho entre as cidades amazonenses de Humaitá e Apuí (neste caso na transamazônica, que um dia tbém será asfaltada !!!)… VIVA O CONFORTO DA VIA DUTRA, DO SHOPPING CENTER, DO MÉDICO DISPONÍVEL 24 HS POR DIA, DO FILÉ A PARMEGIANA E DE TODA A POPULAÇÃO DO SUL-SUDESTE QUE USUFRUI DISSO !!! fui…

  6. D. Junior permalink
    15/03/2011 11:06

    hipocrisia,hipocrisia e mais hipocrisia…sabe pq esses ambientalistazinhos de araque defendem tanto a nao construçao da 319?pq eles nunca compraram um kg de batata a 16 reais,pq nunca compraram um kg de tomate a 14reais,alias,com certeza eles nem sabem q existe batata a esse preço…esses ambientalistazinhos de araque nao deixam de andar d carro,de moto de aviao nem de helicopteros apesar de saber q sao poluentes e degradadores da natureza,nenhum deles mora no Amazonas,nenhum deles mora no Acre ou em Rondonia,e o mais engraçado eh q a maioria deles como o dignissimo senhor ministro carlos minc sao defensores da legalizaçao da maconha…vamo la,venham morar em cidades como rio preto da eva,carauari,feijo,tarauaca,manicore…venham ambientalistas e aí sim veremos o qto vcs sao capazes d nao defenderem a ”BR”(se todo brasileiro tem os mesmos direitos,pq nós Amazonidas somos diferentes?pq nos nao podemos conviver com o progresso?aliás,pq o progresso nos eh negado?)

  7. Valteran permalink
    27/04/2011 2:18

    Olá, sei que o blog trata de discussões relacionadas a revitalização da BR 319, porém, gostaria de saber se alguém sabe das condições de trafego pela BR, do trecho entre Manaus a Porto Velho.
    Pretendo realizar uma viagem de moto entre os meses de julho e agosto nesse trecho e se alguém puder fornecer alguma informação ai, agradeceria muito, ou enviar no e-mail: valteranweslei@hotmail.com

  8. CLAUDIO GERIN permalink
    11/06/2011 13:49

    SOU UM DOS QUE TRABALHARAM NA CONSTRUTORA QUE FEZ ESTA ESTRADA, A BR 319.
    NÃO VOU DISCUTIR, AQUI, QUESTÕES AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTISTAS, VOU RELATAR O QUE SEI DA OBRA EM SI.
    ELA FOI ASFALTADA PORQUE A CHUVA DESTRUIA SEU LEITO RECEM FEITO, E O PISO EM CBQU IMPERMEABILIZA-LO-IA.
    AÍ QUE VEM O CRIME:
    O UNICO LOCAL, NA REGIÃO, QUE TINHA CALCARIO NA ESPECIFICAÇÃO E QUANTIDADE NECESSARIA ERA EM MOURA-Amapá, NA BEIRA DO RIO NEGRO. E LÁ FOI MONTADO O BRITADOR QUE PRODUZIA AS BRITAS QUE VIAJAVAM OITO DIAS DE BARCO ATÉ O CAREIRO-amazonas.
    ACONTECE QUE ESTA PEDREIRA, VIRADA PARA O RIO, ERA CHEIA DE INSCRIÇÕES E DESENHOS FEITOS POR CIVILIZAÇOES QUE TRANSITARAM NO RIO DURANTE SECULOS.
    A ORDEM, DOS MILITARES ‘A EPOCA DO – AMAZONAS, INTEGRAR PARA NÃO ENTREGAR-,CUMPRIDA PELA FIRMA , FOI A DE DESTRUIR ESTES REGISTROS PRA EVITAR TOMBAMENTO E PREJUIZO ‘A OBRA.
    MINHAS PERGUNTAS.
    ONDE, HOJE, ESTÃO RETIRANDO CALCARIO (BRITA) PRA REFAZER A OBRA?
    E PRA USINA ELETRICA?
    O AMAZONAS É CARENTE EM CALCARIO, E QUALQUER AMONTOADA TEM REGISTROS DE CIVILIZAÇÕES ANTIGAS.
    A PRESERVAÇÃO DISTO NÃO É IMPORTANTE, NÃO?

  9. Pedro Luiz permalink
    16/06/2011 10:47

    Sou de São Paulo, vivo no conforto, mas também penso em meu País. Dizer que a BR 319 vai acabar com a floresta, vai destruir o planeta, vai acabar com o ecossistema, tudo isso é radicalismo, radicalismo de pessoas que não pensa no ser humano. A BR 319 vai ligar duas importantes capitais, além disso disso vai ligar Manaus ao resto do País. Além disso , Mato Grosso precisa exportar a safra agrícola para Venezuela e Caribe. Esses são fatores econômicos. Por outro lado a região Amazônia tem sua população carente, isolada e na miséria, também tem direito a hospitais, farmácias , mercado , bancos e escolas. bancos. Eu vivo no meu conforto, outras pessoas também vivem, porque ser egoísta com o povo da Amazônia, eles também tem direito a transporte e melhores condições de vida. DIGO, SOU BRASILEIRO, AMO MEU PAÍS E DEFENDO O DESENVOLVIMENTO NA AMAZÔNIA, A AMAZÔNIA É NOSSA E TEMOS O DIREITO DE PRATICAR O DESENVOLVIMENTO SUSTENTADO. A Amazônia não vai desaparecer por causa de uma estrada, a Amazônia é um oceano verde, um oceano gigantesco, e deve ser desenvolvida sim, com desenvolvimento sustentado. Uma estrada não vai destruir a floresta, porque temos leis de preservação, leis no código florestal, leis, vigias, fiscais, Polícia Federal, Ibama , satélites e todo um aparato para defender a floresta. Como disse meu colega, porque não vão protestar contra a construção de estradas em outros país. Essa estrada já foi asfaltada, e não destruiu a floresta, porque iria agora, conta tantas leis de preservação ser destruição com a restauração da estrada. Querem o desenvolvimento no seu bairro, na sua rua, mas não querem que o povo da Amazônia tenha conforto e infra estrutura.

  10. ricardo permalink
    20/06/2011 9:56

    eu acho q é a mafia entre gonvernos e donos de balsas q empedem a conclusao da rodovia!!

  11. Alessandro permalink
    04/07/2011 9:20

    Sou mineiro e vivo hoje na capital do Amazonas. Vejo como uma piada toda esta história de que construindo a estrada a floresta acaba…kkk. Estive este mês na BR 319 e passei com minha camionete pelos poucos trechos muito estragados por causa do descaso dos governos responsáveis. conversei com pessoas que me disseram que na época da manutenção da estrada, a empresa no lugar de conservar destruia e desaparecia. Quem pagava por isso? tem mais, os trechos chamados de atoleilos são trechos de 200m. encontrei aproximadamente 12 atoleiros e de moto é tranquila a viagem. Eu não acho e nem penso, tenho certeza: os ambientalistas não tinham de brigar pra não construir, eles tinham de brigar pra conservar. São 750km de estrada. Então vc coloca uma barreira federal na entrada e na saida. existe lá o BEC do exército e tem mais porque não uma rodovia privada com vigilancia diária? Já que se trata de uma rodovia tão especial, porque não uma vigilância especial. O que acontece neste pais e a corrupção que não deixa as coisas funcionarem. O trecho Minas / Rio tem seu trajeto mais conservado na parte privada placas de informações e vigilância constante. porque não nesta estrada. Apezar de achar que não seria necessário se o governo corrupto em todos os tempos de nosso pais trabalhasse em favor das leis que criaram. 750km é muito fácio de vigiar se não houver a corrupção, Mas os ambientalistas ja se conformaram com corrupção. corrupção sim a estrada não. COBREM A CONSERVAÇÃO E A VIGILÂNCIA ESTA É A VERDADEIRA FUNÇÃO DE VCS.

  12. Hamilton Cruz Neves Junior permalink
    23/07/2011 8:01

    O certo seria construir uma ferrovia ao invés de uma rodovia. Mania de brasileiro de achar que só existe carro como meio de transporte. Com a ferrovia, as cidades e povoamentos seriam atendidas, mas não haveria grilagem e desmatamento como ocorrem por conta da rodovia. Pq é que acham que ter carro e comer filé mignon é importante na vida? Espírito atrasado é que gosta dessas coisas. Espírito evoluído cultiva outros valores e não esse materialistmo devastador e ignorante!

  13. agnaldo permalink
    21/09/2011 15:12

    Sou carioca, militar e estou a dois anos e meio vivendo em Manaus, vejo como determinante ao desenvolvimento do Amazonas a revitalização da rodovia em comento, com isso, o custo de vida em Manaus iria diminuir pois tudo aqui é muito caro, desde o alimento até os serviços.
    Agnaldo.

  14. gilberto marcelino permalink
    19/03/2012 15:15

    Sou geógrafo, paulista de berço e paulistano de formação, matogrossense entre 1980 e 1997 e finalmente amazonense/roraimense de lá prá cá. Sobre a controvérsia, afirmo desde logo que a BR 319 se afigura indispensável em sua condição de principal eixo de integração entre a Amazônia Ocidental e o restante do País. É requisito indispensável do desenvolvimento humano das populações amazônidas, igualmente brasileiras, inexistindo razões que justifiquem seu isolamento e a manutenção de seu subdesenvolvimento, sobretudo numa nação já considerada subdesenvolvida. De fato, quando migrei para a Amazônia, logo concluí que além de fazer uma viagem no espaço, fizera também uma viagem no tempo. Isto é, os atrasos verificados nos campos social e econômico revelavam a mais não poder um enorme abismo a ser resgatado, em especial pela ação governamental. A pergunta a ser respondida é: a quem de fato interessa o isolamento da Amazônia? A resposta, ao meu sentir, é bem simples, e baseia-se em fatos sobejamente conhecidos, pela ordem: as indústrias mais poluentes do planeta valem-se da Amazônia para “compensar” os impactos ambientais que produzem; nessa linha, alimentam com recursos milionários as ONG’s estrangeiras e suas filiais e associadas no Brasil para levantar bandeiras contra a integração e o desenvolvimento da Amazônia; com esse forte e permanente apelo financeiro, tomaram de assalto o Ministério do Meio Ambiente, inclusive por meio de convênios que remuneram técnicos por elas indicados para alcançar esse fim, é só verificar. Noutra linha, está o interesse científico estrangeiro pela biodiversidade da Amazônia, que já lhes rendeu enorme número de descobertas e patentes, com elevadíssimo valor de marcado, para ficar só nesses dois pontos. Uma reflexão aos demais brasileiros viventes noutras regiões do País: A Amazônia é patrimônio nacional, não se prestando, nessa condição, a atender interesses isolacionistas ou preservacionistas de estrangeiros. Deve ser, sim, acessível aos brasileiros de qualquer origem ou condição que detenha, todos obedientes a uma política de desenvolvimento social e econômico que incorpore fortemente a dimensão ambiental. Nada além disso. Incluem-se nisso todos os povos do mundo que admiram a singular grandiosidade e beleza da nossa Amazônia.

  15. Jaime permalink
    03/05/2012 14:14

    Se reformar esta rodovia a floresta vai sofrer devastação com certeza. O homem branco só pensa em destruir tudo que ve!

  16. 18/05/2012 17:45

    Sou de Rondônia e vejo que todos querem preservar o meio ambiente, mas ninguém quer viver em áreas protegidas, todos querem viver em Sampa, BH, RJ, no Sul, com todos os confortos que só o capitalismo produz e graças a exploração de recursos.

    Só quero fazer um adendo. O sr. Jaime do comentário acima do meu acaba de dizer “o homem branco”. Eu não vejo no que a cor da pele influência na destruição de floresta. Índios queimavam grandes extensões de florestas para caçar animais. Já que é para partir para o coletivo (coisa que odeio), saiba que foi o homem branco (não a cor da pele, mas a civilização e os valores dos europeus) que unicamente carregou a humanidade nas costas até uns 20 anos, no qual passou a dividir a tarefa com os asiáticos (que só se tornaram alguma coisa graças aos brancos).

  17. STEHLGENS permalink
    18/07/2012 9:43

    Eu moro em Manaus e quero a BR 319, não concordo com os preços das passagens aéreas que nunca fazem promoção de Manaus pra lugar nenhum, e tempo pra viajar de barco é impossível, BR 319 JÁ, JÁ, JÁ,JÁ……………….

  18. João Batista de Carvalho permalink
    11/10/2012 0:56

    Façam a estrada seus urubús carniceiros, ou então venham morar as margens dessa estrada que já existe á trinta anos e ninguém pode passar por ela, isto é uma vergonha…

  19. marcos permalink
    09/01/2014 18:04

    esses ambientalistas são pagos para prejudicar o desenvolvimento do país.

  20. gilmar carvalho permalink
    27/07/2014 20:13

    Eu sou do BRASIL, e entendo que a questao da br 319 eh tao e somente politica. (empresarios da Navegação/governo “”ambientalistas”/ONGs”). Enquanto nossos irmaos do norte sao obrigados a ficar segurando as arvores, o resto do pais e numa visao mais macro o mundo (norte), seguem sua vidinha normal INUNDANDO o planeta com Co2 e outras coisas que nao vale o comentario aqui.. Vamos parar com isso, vamos exigir os nossos direitos, somos todos iguais perante Deus e a Constituição Brasileira, somos um pais de 3 ou 4 mundo e nosso “”Governo AMBIENTALISTA” quer que vivamos com leis e atitudes de paises de 1 Primeiro mundo. Nos de condicoes de ir e vir,educação, saude , lazer, etcc.e ai sim nos cobre atitudes de pessoas esclarecidas e abastadas.
    Informação: a troco de creditos de carbono e que sao feitas as Mitigações e como disse um dos participantes desse blog ,e eles usam realmente a nossa AMAZONIA .
    Estarei juntamente com minha esposa passando pela br 319 em set/2014, como ja fiz em 2012 quando percorremos toda a rodovia Transamazonica e na epoca presenciei a vontade do povo pela liberação da construção da Usina de Belo Monte que estava e ainda esta na,luta contra os ditos Amientalistas , que nunca apontam soluções e somente exigencias , ora eles nao pregam a sustentabilidade? que apresentem saidas mas que nao EXCLUA o ANIMAL SER HUMANO. e deixe que um dia possamos ser desenvolvidos como o povo do norte.
    desculpe o desabafo..

    gilmar

Trackbacks

  1. Amazonia: la amenaza en forma de puente - de viaje a Brasil : de viaje a Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: