Skip to content

São Paulo não tem onde jogar mais lixo!

02/10/2009

Em meio a tantas discussões que, pelo incomodo direto que nos causam, parecem der mais importantes, como trânsito e (falta de) segurança, deixamos de lado outras questoes nao menos emergenciais, como a necessidade de redução dos níveis de consumo de políticas públicas para reciclagem.

Por isso, a partir de hoje São Paulo será referência, também da exportação de lixo!
O último aterro foi encerrado hoje, por esgotamento!
biogas_fig2

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. 02/10/2009 19:00

    O lixo de São Paulo tem solução! Leiam abaixo, a proposta dos Doutores do Meio Ambiente.
    Essa proposta do lixo ser geadora de energia, já está sendo implantada na cidade de São Sebastião.
    Abs,
    Ilde e Mariella
    ihzorzi@ddma.com.br
    mariella@ddma.com.br
    Doutores do Meio Ambiente.

    Quando o lixo vira ENERGIA LIMPA!

    Essa é a proposta inovadora do Engº Dr Daniel Sindicic, um dos principais nomes quando o assunto é tratamento de resíduos sólidos urbanos (vulgo LIXO) e desenvolvimento sustentável.
    DADOS DO IBGE INDICAM QUE NO BRASIL SÃO GERADOS DIARIAMENTE CERCA DE 140 MIL TONELADAS DE RESÍDUOS DOMICILIARES, DOS QUAIS 70 MIL TONELADAS SÃO DESTINADAS DE FORMA TOTALMENTE INADEQUADA NOS LIXÕES E O RESTANTE VAI PARA ATERROS SANITÁRIOS,
    o que não gera nenhum benefício em termos ambientais, sociais ou econômicos e em alguns casos acabam influenciando até negativamente, quando estes estão localizadas em áreas turísticas, por exemplo. Isso sem contar as 4 mil toneladas de resíduos produzidos pelos serviços de saúde, coletadas diariamente, das quais apenas 14% são tratadas adequadamente.

    A falta de tratamento adequado dos resíduos em geral, a nova ocupação sucessiva de locais para deposição à medida que os mais antigos vão se esgotando, a própria escassez de espaço nas áreas urbanas, tudo isso vem gerando um problema cada vez maior e apresentando prejuízos incalculáveis para nossa sociedade em geral. Do ano de 1990 ao ano de 2000, a população cresceu cerca de 17%, enquanto que a geração de lixo cresceu 49%. Dados do IBGE também estimam um crescimento populacional da ordem de 7,5 % nos próximos 10 anos. Isso significa que em 2019 seremos quase 206 milhões de habitantes no Brasil.
    E PARA ONDE VAMOS MANDAR TANTO LIXO?

    Além de ser incentivador de ações que permitam maiores índices de redução e reciclagem, o Dr. Daniel Sindicic propõe a gestão de novas tecnologias para o tratamento dos resíduos sólidos urbanos. Para isso, ele acrescenta um novo “r” na tradicional lista dos 3 “erres” do meio ambiente:

    Os “erres” ficam assim:

    1 – Redução do consumo.
    2 – Reutilização dos materias.
    3 – Reciclagem.
    4 – RECUPERAÇÃO DE ENERGIA (RECICLANDO ENERGIA).

    “UMA ÓTIMA SOLUÇÃO PARA A DESTINAÇÃO DO LIXO NAS CIDADES É A GERAÇÃO DE ENERGIA A PARTIR DO TRATAMENTO TÉRMICO DOS RESÍDUOS”, AFIRMA O DR SINDICIC.

    Dentro desta proposta da RECUPERAÇÃO DE ENERGIA, observe o quanto de energia elétrica é produzida através da combustão de apenas 1 kg de lixo domiciliar.

    Poderemos obter energia suficiente para operar:

    – um secador de cabelos por 24 minutos.
    – uma máquina de lavar por 20 minutos.
    – uma geladeira por 2horas e 52 minutos.
    – uma TV por 5 horas e 45 minutos.
    – um forno elétrico por cerca de 22 minutos.
    – um ferro elétrico por 43 minutos.
    – um computador por 5 horas e 45 minutos.
    – uma lâmpada incandescente por 4 horas e 12 minutos.
    – um chuveiro elétrico para 8 banhos.

    “O lixo urbano pode produzir calor e energia quando usamos tecnologias modernas para aplicar o quarto “erre” – RECUPERAÇÃO DE ENERGIA – obtendo assim a ENERGIA LIMPA.” diz o Dr Sindicic, phD pela USP na área de combustão e integrante do grupo DOUTORES DO MEIO AMBIENTE.
    “ATUALMENTE, O TRATAMENTO TÉRMICO É UMA OPÇÃO DE BAIXÍSSIMO IMPACTO AMBIENTAL E SEGURO PARA QUEM OPERA, SE FOR UTILIZADA UMA ENGENHARIA MODERNA, SEGUINDO A TECNOLOGIA DOS MODELOS INTERNACIONAIS, QUE JÁ SÃO APLICADAS EM MAIS DE 800 LOCAIS NOS PAÍSES DESENVOLVIDOS. O BRASIL JÁ TEM CONDIÇÃO DE TER ESSA TECNOLOGIA NACIONALIZADA E SAIR DESTA SITUAÇÃO COMPLICADA QUE SE ENCONTRA HOJE “, DIZ O ENG. DR. DANIEL SINDICIC, ESPECIALISTA NA ÁREA, QUE INTEGRA O GRUPO DOUTORES DO MEIO AMBIENTE E ATUA HÁ MAIS DE 20 ANOS NA ÁREA DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS
    (incluindo resíduos perigosos, resíduos de tratamento de efluentes etc)
    Além da recuperação de energia, se retomarmos o montante acima (140 mil toneladas lixo/dia) e aplicássemos o tratamento térmico,
    PODERÍAMOS EVITAR QUE APROXIMADAMENTE 36MILHÕES DE TONELADAS DE CO2 SEJA LANÇADA NA ATMOSFERA EM UM ANO, O QUE SERIA UMA ÓTIMA CONTRIBUIÇÃO PARA REDUZIR O EFEITO DO AQUECIMENTO GLOBAL.

    Engº Daniel Sindicic, PhD
    Engenheiro mecânico com mestrado na área de termodinâmica e doutorado em combustão pela USP e MBA na Universidade de Michigan – USA – e Saint Gaullen – Suiça. Com 22 anos de experiência em gestão de industrias químicas. Atuou como professor universitário das disciplinas “Termodinâmica” e “Mecânica dos Fluidos” por 11 anos na Universidade de Mogi das Cruzes – SP.
    2005 – Prêmio Industrial do Ano.

    Hoje atua como consultor na área ambiental, direcionada ao tratamento de resíduos e recuperação de energia (DDMA – Doutores do Meio Ambiente) e preside a Ong ASDAMAS, entidade que tem como foco ações sustentáveis.

    DDMA – Doutores do Meio ambiente – Primeira equipe multidisciplinar especializada na gestão ambiental. Dr. Eng. Dr. Daniel Ricardo Sindicic, Dr. Ricardo Buono Rizzo, Prof. Dr. Josmar Davilson Pagliuso, Profa. Dra. Paula Cristina Garcia Manoel Crnkovic

    O GRUPO MANTÉM UM PORTAL NA INTERNET, ABRANGENDO OS MAIS VARIADOS ASSUNTOS SOBRE O TEMA MEIO AMBIENTE: http://WWW.DOUTORESDOMEIOAMBIENTE.COM.BR

  2. 02/10/2009 19:19

    Quando o lixo vira ENERGIA LIMPA!

    Essa é a proposta inovadora do Engº Dr Daniel Sindicic, um dos principais nomes quando o assunto é tratamento de resíduos sólidos urbanos (vulgo LIXO) e desenvolvimento sustentável.
    DADOS DO IBGE INDICAM QUE NO BRASIL SÃO GERADOS DIARIAMENTE CERCA DE 140 MIL TONELADAS DE RESÍDUOS DOMICILIARES, DOS QUAIS 70 MIL TONELADAS SÃO DESTINADAS DE FORMA TOTALMENTE INADEQUADA NOS LIXÕES E O RESTANTE VAI PARA ATERROS SANITÁRIOS,
    o que não gera nenhum benefício em termos ambientais, sociais ou econômicos e em alguns casos acabam influenciando até negativamente, quando estes estão localizadas em áreas turísticas, por exemplo. Isso sem contar as 4 mil toneladas de resíduos produzidos pelos serviços de saúde, coletadas diariamente, das quais apenas 14% são tratadas adequadamente.

    A falta de tratamento adequado dos resíduos em geral, a nova ocupação sucessiva de locais para deposição à medida que os mais antigos vão se esgotando, a própria escassez de espaço nas áreas urbanas, tudo isso vem gerando um problema cada vez maior e apresentando prejuízos incalculáveis para nossa sociedade em geral. Do ano de 1990 ao ano de 2000, a população cresceu cerca de 17%, enquanto que a geração de lixo cresceu 49%. Dados do IBGE também estimam um crescimento populacional da ordem de 7,5 % nos próximos 10 anos. Isso significa que em 2019 seremos quase 206 milhões de habitantes no Brasil.
    E PARA ONDE VAMOS MANDAR TANTO LIXO?

    Além de ser incentivador de ações que permitam maiores índices de redução e reciclagem, o Dr. Daniel Sindicic propõe a gestão de novas tecnologias para o tratamento dos resíduos sólidos urbanos. Para isso, ele acrescenta um novo “r” na tradicional lista dos 3 “erres” do meio ambiente:

    Os “erres” ficam assim:

    1 – Redução do consumo.
    2 – Reutilização dos materias.
    3 – Reciclagem.
    4 – RECUPERAÇÃO DE ENERGIA (RECICLANDO ENERGIA).

    “UMA ÓTIMA SOLUÇÃO PARA A DESTINAÇÃO DO LIXO NAS CIDADES É A GERAÇÃO DE ENERGIA A PARTIR DO TRATAMENTO TÉRMICO DOS RESÍDUOS”, AFIRMA O DR SINDICIC.

    Dentro desta proposta da RECUPERAÇÃO DE ENERGIA, observe o quanto de energia elétrica é produzida através da combustão de apenas 1 kg de lixo domiciliar.

    Poderemos obter energia suficiente para operar:

    – um secador de cabelos por 24 minutos.
    – uma máquina de lavar por 20 minutos.
    – uma geladeira por 2horas e 52 minutos.
    – uma TV por 5 horas e 45 minutos.
    – um forno elétrico por cerca de 22 minutos.
    – um ferro elétrico por 43 minutos.
    – um computador por 5 horas e 45 minutos.
    – uma lâmpada incandescente por 4 horas e 12 minutos.
    – um chuveiro elétrico para 8 banhos.

    “O lixo urbano pode produzir calor e energia quando usamos tecnologias modernas para aplicar o quarto “erre” – RECUPERAÇÃO DE ENERGIA – obtendo assim a ENERGIA LIMPA.” diz o Dr Sindicic, phD pela USP na área de combustão e integrante do grupo DOUTORES DO MEIO AMBIENTE.
    “ATUALMENTE, O TRATAMENTO TÉRMICO É UMA OPÇÃO DE BAIXÍSSIMO IMPACTO AMBIENTAL E SEGURO PARA QUEM OPERA, SE FOR UTILIZADA UMA ENGENHARIA MODERNA, SEGUINDO A TECNOLOGIA DOS MODELOS INTERNACIONAIS, QUE JÁ SÃO APLICADAS EM MAIS DE 800 LOCAIS NOS PAÍSES DESENVOLVIDOS. O BRASIL JÁ TEM CONDIÇÃO DE TER ESSA TECNOLOGIA NACIONALIZADA E SAIR DESTA SITUAÇÃO COMPLICADA QUE SE ENCONTRA HOJE “, DIZ O ENG. DR. DANIEL SINDICIC, ESPECIALISTA NA ÁREA, QUE INTEGRA O GRUPO DOUTORES DO MEIO AMBIENTE E ATUA HÁ MAIS DE 20 ANOS NA ÁREA DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS
    (incluindo resíduos perigosos, resíduos de tratamento de efluentes etc)
    Além da recuperação de energia, se retomarmos o montante acima (140 mil toneladas lixo/dia) e aplicássemos o tratamento térmico,
    PODERÍAMOS EVITAR QUE APROXIMADAMENTE 36MILHÕES DE TONELADAS DE CO2 SEJA LANÇADA NA ATMOSFERA EM UM ANO, O QUE SERIA UMA ÓTIMA CONTRIBUIÇÃO PARA REDUZIR O EFEITO DO AQUECIMENTO GLOBAL.

    Engº Daniel Sindicic, PhD
    Engenheiro mecânico com mestrado na área de termodinâmica e doutorado em combustão pela USP e MBA na Universidade de Michigan – USA – e Saint Gaullen – Suiça. Com 22 anos de experiência em gestão de industrias químicas. Atuou como professor universitário das disciplinas “Termodinâmica” e “Mecânica dos Fluidos” por 11 anos na Universidade de Mogi das Cruzes – SP.
    2005 – Prêmio Industrial do Ano.

    Hoje atua como consultor na área ambiental, direcionada ao tratamento de resíduos e recuperação de energia (DDMA – Doutores do Meio Ambiente) e preside a Ong ASDAMAS, entidade que tem como foco ações sustentáveis.

    DDMA – Doutores do Meio ambiente – Primeira equipe multidisciplinar especializada na gestão ambiental. Dr. Eng. Dr. Daniel Ricardo Sindicic, Dr. Ricardo Buono Rizzo, Prof. Dr. Josmar Davilson Pagliuso, Profa. Dra. Paula Cristina Garcia Manoel Crnkovic

    O GRUPO MANTÉM UM PORTAL NA INTERNET, ABRANGENDO OS MAIS VARIADOS ASSUNTOS SOBRE O TEMA MEIO AMBIENTE: http://WWW.DOUTORESDOMEIOAMBIENTE.COM.BR

Trackbacks

  1. O lixo e a Cidade de São Paulo, problemas? | Engenharia do Asfalto - Arquitetura, Engenharia, Sustentabilidade e afins

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: