Skip to content

Árvores escalam montanhas para fugir do calor

01/08/2008

Fernando Reinach, O Estado de S.Paulo, 31 de julho de 2008

A altitude preferencial da maioria das espécies se deslocou para altitudes maiores ao longo do século. Todas as árvores “subiram” a montanha. Na média, subiram 30 metros por década durante o século XX. O que vai ocorrer quando elas não tiverem mais para onde ir?

Mesmo quem nunca esteve nos Alpes sabe como é o verão na região. Cartões-postais mostram vacas pastando ao lado de riachos em vales verdejantes. Ao fundo, observamos montanhas com florestas nas encostas e neve nos picos.

Se você caminhar do fundo de um desses vales em direção ao topo da montanha vai observar que a vegetação se altera à medida que você sobe. O pasto é substituído pela floresta, e esta vai se tornando mais rala até que desaparecem as árvores. Após certa altura deixa de existir qualquer vegetação.

A mudança é conhecida dos ecologistas. Como o clima se altera à medida que subimos, diferentes espécies de vegetais ocupam cada nível da montanha. Espécies adaptadas ao frio ficam próximas ao pico, espécies adaptadas à temperaturas mais altas ficam próximas ao vale. A mesma distribuição ocorre horizontalmente quando viajamos da região tropical em direção aos pólos. Perto dos trópicos predominam espécies adaptadas ao calor.

À medida que nos aproximamos dos círculos polares encontramos, na mesma altitude, espécies que nas montanhas ocupam a região próxima aos picos nevados. O paralelo é tão claro que nos cursos de ecologia aprendemos que um deslocamento vertical de algumas centenas de metros equivale a um deslocamento horizontal de alguns milhares de quilômetros.

Nas montanhas européias esse fenômeno tem sido estudado há mais de cem anos. Cada espécie de árvore tem sua altitude preferencial. Para medi-la, o cientista sobe a montanha e mede a densidade (número de árvores por metro quadrado) de uma espécie de árvore a cada altitude. A densidade, que inicialmente é baixa, aumenta, chega ao máximo e finalmente diminui quando a temperatura fica muito baixa. A altitude preferencial é a altitude onde a densidade de árvores é máxima.

Recentemente um grupo de ecologistas coletou os mais de 28 mil levantamentos do tipo feitos entre 1905 e 2005 para 160 diferentes espécies de plantas nas seis cordilheiras européias. Eles dividiram os levantamentos em dois grupos: antes e depois de 1985.

Quando os grupos foram comparados, eles observaram que a altitude preferencial da maioria das espécies se deslocou para altitudes maiores ao longo do século. Todas as árvores “subiram” a montanha. Na média, subiram 30 metros por década durante o século XX.

Os cientistas acreditam que isso ocorreu por causa do aquecimento global. À medida que a temperatura na Europa aumentou , as árvores da faixa mais baixa não conseguiram sobreviver, mas em compensação as sementes que germinaram em alturas antes inóspitas agora encontraram um ambiente propício.

Essa é mais uma conseqüência do aquecimento global, as árvores são obrigadas a subir as montanhas para escapar do calor. É fácil imaginar o que vai ocorrer quando, após subirem 30 metros por década, elas não tiverem mais para onde ir.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: