Skip to content

Campanha contra água mineral chega à Suíça

16/07/2008

Ecoblogue, 15 de julho de 2008

Devido ao seu balanço ambiental negativo, o consumo de água mineral engarrafada deve ser proibido na Suíça. Uma campanha iniciada nos Estados Unidos, propondo o consumo de água de torneira em vez de água mineral para proteger o meio ambiente, atinge também a Suíça.

Durante uma conferência em 23 de junho passado, 250 prefeitos dos EUA decidiram que nas suas cidades não será mais comprada água mineral com dinheiro dos contribuintes. Igrejas e organizações estudantis apóiam a “Anti Bottled Water Campaign”.

Na Suíça, alguns restaurantes já oferecem jarras de água da torneira aos seus fregueses. O deputado Jacques Neirynck, ex-reitor da Escola Politécnica Federal de Lausanne, quer propor na sessão de outono do Parlamento a proibição da água mineral no país. Ela então só poderia ser comprada sob receita médica.

“São necessárias medidas restritivas para economizar energia. Gasta-se energia demais com a produção da garrafa, o engarrafamento e o transporte. Se não quisermos ter uma nova usina nuclear, temos de renunciar à água engarrafada”, argumenta.

120 litros de água mineral per capita

Cada um dos 7,5 milhões de suíços consome cerca de 120 litros de água mineral por ano. O consumo mais do que duplicou nos últimos 20 anos, período em que as importações quase dobraram. Quase um terço do mercado suíço é coberto por água importada.

Segundo um estudo da Esu-Services, de Uster (perto de Zurique), para um litro de água mineral engarrafada e transportada por um longo trajeto são gastos 3,2 decilitros de petróleo.

Dois decilitros de petróleo são gastos por litro quando a água mineral é retirada de uma fonte na Suíça, colocada em garrafa PET (reciclável) e refrigerada antes de ser servida.

Para a obtenção de um litro de água de torneira, não refrigerada, o consumo de energia equivale a 0,3 mililitros de petróleo – mil vezes menos do que para a água mineral em garrafa de vidro, importada e refrigerada.

“A carga para o meio ambiente decorre principalmente da refrigeração, da embalagem e do transporte”, diz Niels Jungbluth, gerente-executivo da Esu.
Nestlé rebate críticas

A Nestlé Waters, líder global do mercado, rebate as críticas feitas por políticos e peritos, dizendo que a água mineral de suas marcas representa apenas 0,0009% da água potável consumida no mundo.

Na Suíça, 75% de todas as garrafas PET são recicladas, diz Philippe Oertlé, porta-voz da Nestlé. Ele explicou ao jornal Tagesanzeiger que a empresa reduziu em 22% nos últimos cinco anos o peso da embalagem da água mineral.

Segundo o presidente da Nestlé, Peter Brabeck, “a polêmica tomou as feições de uma caça às bruxas. Quem quiser economizar água por motivos ecológicos tem de tomar mais água mineral e menos água de torneira”, disse ao jornal Sonntagszeitung.

Brabeck argumenta que a água engarrafada provoca o menor consumo de água para levar líquido da melhor qualidade ao consumidor. “Como o preço da água de torneira é baixo demais, por motivos políticos, não há como investir o suficiente nas redes. Nos países em desenvolvimento, 70% da água potável é desperdiçada por furos na rede; na União Européia, 30%.”

O presidente da Nestlé concorda que existe um direito humano à água. “Cinco litros por pessoa diariamente para beber e 20 litros para a higiene. O que passar disso tem de ser vendido a preço de mercado. Do contrário, serão subvencionadas piscinas em campos de golfe”, afirma.
David contra Golias

Uma alternativa pode ser a água do tipo Club Soda (água encanada, filtrada, gaseificada e enriquecida com bicarbonatos, citratos, fosfatos e outros tipos de sais minerais). Ela prejudica cinco a oito vezes menos o meio ambiente do que água mineral, conclui o estudo da Esu.

Segundo Aaron Husy, gerente da Club Soda Distribution, em Vevey, a empresa vendeu até agora um milhão de cilindros de bicarbonato na Suíça – entre 300 mil e 400 lares formam o “núcleo” dos usuários fiéis. Cada cilindro de gás dura cerca de dois anos.

Husy considera-se um “David contra o Golias” das multinacionais que controlam o mercado de água mineral engarrafada: Nestlé Waters, Danone, Coca-Cola e Pepsi. Mas ele diz que já sente o resultado do apelo ecológico da água do Club Soda.

“Hoje somos suficientemente fortes para questionar a venda de garrafas de plástico e vidro, que são ecologicamente problemáticas, sem que sejamos esmagados como uma mosca pelos grandes”, disse Husy ao jornal Tagesanzeiger.

Fonte: Ambiente Brasil

Para mais elementos acesse: Eco-disaster:Nineral Water in Bottle

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 07/05/2010 20:22

    Já mais podera ser incentivado, o consumidores a beber agua da rua,, principalmente varias cidades que ainda tem muitos quilometros de encanamento em cano de amianto, e as maiorias das cidades tem vasamento de agua, que tem entrada de bacteria, na agua, sem sombra de duvida, agua tem que ser mineral, e tem saber qual é a fonte da qual adquirir agua, pq infelismente existe muitas totalmente irregular, agua que são envasada por poços ou minas que não estão regulamentada, e as que estão regualamentada e tem venda superior do que sua vasão, eles envasa por poços clandestino, que tem conexão subterranea, enganado o consumidor, eu sou prova viva do que falo, mato a cobra e mostro o pau, aqui em minha região tem fonte assim, e dificulta as vendas por ter preço, em agua que não é tributada, e quem paga é a barriga do consumidor, ingerindo centenas de bacterias, principalmente os que não bebe agua mineral, e sim torneral, porque podem até ter tratamento adequado, mais a conserva em caixas de agua residencial, é precaria, caixas velhas ,de amianto, e sem ser lavada e esterizada,as caixas tem que ser de inox, e feita as ascepicia, com indicaçoes de um geologo e engenheiro de mina, com produtos indicado pelos orgão competentes, e tudo isto a VANAGUA tem, além de ser uma agua medicamentosa natural, como outras empresas, que sabe que meche com o ser HUMANO, do qual tem que ser respeitado. esta é a opinião de Vicente Castrequini

  2. Armando Vancini permalink
    08/05/2010 9:15

    Concordo plenamente com o senhor acima, dentro da realidade de todos os países do mundo, ou seja os chamados, primeiros, segundos e terceiros, não ha segurança na ingestão da famosa água “torneiral”, mesmo sendo filtrada, pois os sistemas de filtragem oferecidos de uma maneira irresponsável por empresas que se apresentam extremamente responsáveis são ineficientes e mentirosos, pois o que fazem não é purificar a água como dizem, mas sim retirar o cloro existente, adicionar um saborsinho através de elementos que se desprendem dos elementos “filtrantes”, porem a água continua pobre em sais minerais e repleta de elementos químicos como hormônios, antibióticos, etc., isto se dá por conta de que os tratamentos de esgoto, quando existentes, são ineficazes e restritos, é inexistente um tratamento que retire das águas certos elementos, ou seja, você, eu, todos, usamos como por exemplo remédios, as mulheres são as campeãs em hormônios através dos anticoncepcionais, na sua grande maioria as doses são genéricas e o excedente é excretado através dos meios naturais de nosso corpo, o mais comum deles é a urina que por sua vez vai até o sistema de tratamento de esgoto o qual é tratado e a água é retornada para o sistema hídrico se infiltrando nos lençóis, etc, muitas das vezes esta água é reaproveitada pois é lançada novamente no sistema de captação da cidade, quando não, é lançada em rios que formão o sistema de captação da cidade seguinte seguindo o curso hídrico que ao final do mesmo são nossos mares.
    Não se iludam a grande verdade que não quer calar é que a água filtrada “torneiral” é a entrada de doenças incontáveis, entre elas o próprio câncer, é assustador mas de uma certa forma o ato de tormar banho de chuveiro em certas cidades de torna uma sauna cancerígena aos pulmões, pois a água quente acelera o processo de evaporação do cloro que é inalado por nós.
    De uma certa forma o ser humano como um todo esta em um ciclo terrível de destruição onde somente o capitalismo reina, quando de um lado vemos algumas das empresas supras descrita que nos Estados Unidos vendiam água da rua engarrafada por água mineral(a famosa TAP WATER), agora defendendo a água mineral. De uma certa forma seria melhor para todos que as garrafas PET fossem retornáveis, recláveis e duráveis e que toda a água para consumo dos cidadãos fossem do tipo Mineral e Medicamentosa, as próprias empresas hoje privadas forneceriam o serviço aos órgãos públicos que seria repassado direto ao consumidor final, este valor seria descontado da conta de água sem onerar os valores hoje já praticados, assim todos em uma cidade por exemplo teriam água mineral de qualidade em galões tipo 20L retornáveis, desde o mais pobre até o mais rico, o que resultaria em uma economia absurda com a saúde pública e a qualidade de vida seria muito melhor.

    Estou a disposição para maiores informações e debates a respeito do assunto.

    Obrigado,

    Armando Vancini.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: