Skip to content

Faça como os portugueses: use energia solar e eólica

16/06/2008

Para nós, brasileiros, os portugueses são nosso alvo no que Freud chama de “narcisismo das pequenas diferenças” – objeto de piadas, desfeita e uma cultivada rivalidade. Mas é em Portugal que estão sendo construídas as maiores usinas de energia solar e de marés do mundo. Nossos patrícios estão sacando para onde a crise energética está conduzindo o mundo e avaliam que o investimento vale a pena.

Na seqüência encontra-se a tradução de um artigo do jornal inglês The Guardian, datado de 7 de junho, relatando a construção destas usinas e os planos do governo português de gerar 60% de sua energia elétrica de fontes renováveis até 2020. Uma lição importante para um país que faz da destruição das florestas uma “vocação”.

A maior fazenda solar do mundo no centro do ambicioso programa energético de Portugal

por John Vidal, the Guardian/UK

Publicado no sábado, 7 de junho de 2008.

Lisboa, Portugal – À distancia, as bizarras estruturas brotando das planícies do alto Alentejo, no leste de Portugal parecem um campo de girassóis mecânicos. Cada um dos 2520 gigantescos painéis solares é do tamanho de uma casa e eles são tecnicamente tão sofisticados como um carro. Suas cabeças reflexivas elevam-se para o céu sempre em 45 graus na medida em que rastreiam o sol através de 240 graus todo dia.

A maior fazenda solar fotovoltaica do mundo, gerando energia diretamente da luz do sol, está tomando forma perto de Moura, uma pequena cidade em uma região pouco povoada e empobrecida que recebe a maior quantidade de luz solar por metro quadrado no ano na Europa.

Quando entrar em pleno funcionamento no final deste ano, a fazenda de £250 milhões (R$ 775 milhões) estabelecida em uma terra abandonada de propriedade do estado terá o dobro do tamanho de qualquer outro projeto similar no mundo, cobrindo uma área de quase duas vezes o tamanho do Hyde Parque de Londres. Espera-se que ela supra 45 MW de eletricidade cada ano, suficiente para 30 mil casas.

Portugal, sem seu petróleo, carvão ou gás e sem domínio da tecnologia nuclear, está se lançando à liderança da revolução das tecnologias limpas na Europa com alguns dos alvos e calendários mais ambiciosos para energias renováveis. Sua intenção, afirma o ministro da economia, Manoel Pinho, é abandonar gradativamente o petróleo e estabelecer em uma década uma economia de baixo carbono em resposta à alta do preço do petróleo e à mudança climática.

“Nós temos que reduzir nossa dependência do petróleo e do gás”, disse Pinho. “O que parecia extravagante em 2004 quando decidimos ir para as energias renováveis agora parece ter sido uma boa decisão”.

Ele espera que Portugal gere 31% de toda sua energia de fontes limpas em 2020. Isto significa passar sua parcela de eletricidade gerada por fontes renováveis de 20% em 2005 para 60% em 2020, comparado com a meta inglesa de 15% de toda energia em 2020. Ultrapassando suas metas para 2010, Portugal logo estará no alto da liga dos países renováveis da União Européia.

Em menos de três anos, Portugal triplicou sua capacidade hidroelétrica, quadruplicou sua geração de energia eólica e está investindo na liderança das usinas solares e de mares. Encorajado pelas garantias de preços de longo prazo pelo estado, e sem adiamentos por razões legais ou por indecisões governamentais, o plano tornou-se um sucesso. Espera-se que as empresas invistam £10 bilhões (R$ 31 bilhões) em energias renováveis em 2012 e £100bn (R$ 330 bilhões)em 2020.

Portugal quer desenvolver uma industria de energias renováveis capaz de rivalizar com a da Dinamarca ou do Japão. Quando o governo convidou companhias para orçar o fornecimento de energias eólica, solar e das mares, ele pediu que elas trabalhassem com empresas manufatureiras para estabelecerem constelações de indústrias.

É um grande sucesso, dizem os governos regionais. No norte de Portugal, onde a maior fazenda eólica do mundo, com mais de 130 turbinas, está agora serpenteando através da fronteira montanhosa com a Espanha, uma empresa alemã emprega mais de 1200 pessoas para construir 600 pás de turbinas de vento de fiberglass de 13 metros de comprimento por ano.

As turbinas foram primeiro encomendadas por fazendas portuguesas, mas pedidos estão sendo recebidos da Inglaterra e de outros países. Metade desta força de trabalho são mulheres que uma vez trabalharam na declinante indústria têxtil.

São os planos portugueses para energia das mares que estão atraindo mais interesse na Europa. O primeira fazenda comercial de energia das mares está sendo montada perto de Porto. Três “serpentes do mar”, desenvolvidas pela companhia Pelamis, sediada em Edimburgo, serão em breve colocadas no mar e começaram a jogar modestas quantidades de eletricidade na rede mais no final do ano.

É o começo de uma potencialmente gigante indústria global, com a firma portuguesa Enersis planejando investir mais de £1 bilhão em uma série de fazendas que juntas gerarão energia para 450 mil casas.

Pinho rejeita a energia nuclear. “Quando você tem um programa como este, não há necessidade de energia nuclear. Vento e água são nossa energia nuclear. O preço relativo das energias renováveis está agora muito baixo, o que incentiva o investimento. Meu conselho para países como a Inglaterra é que se desloquem tão rápido como possam para as fontes renováveis. Com a mudança climática e o aumento do preço do petróleo, as renováveis se tornaram cada vez mais importantes”.

“Países que não investirem em renováveis, pagarão um alto preço no futuro.O custo da inação será realmente muito alto. A percepção de que a energia renovável é muito cara está mudando todo dia na medida em que o preço do petróleo sobe.”

Ele acrescente: “Energia e meio-ambiente são o maior desafio de nossa geração. Nós precisamos desenvolver um modelo de baixo carbono para a economia mundial. A atual situação é perigosa”

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. 24/08/2008 22:44

    olá… eu nao gostei de um pequeno detalhe, tem poucas fotos mas esse site é interessantimo… eu amei !!! obrigado…

  2. ricardo permalink
    06/04/2011 14:41

    muito bom o projeto isso sim é o q deveriam fazer no nordeste pude temos abundacia de sol e muita terra q puco produz ,la sim deveria ser instalada uma fazenda de energia solar ,uma fonte limpa . ao invez de quererem fazem uma uzina nuclear

  3. ricardo permalink
    06/04/2011 14:44

    ja bastao os acidentes que aconteceram em todo o mundo e o brasil aida quer construir duas usinas nucleares uma no sudeste e outra no nordeste mas aqui no nordeste isso nao vai pegar nao
    daqui a uns diaas vai ter a participaçao popular e vao ver que isso é inviavel e ainda querem intala perdo do rio sao fransico é uma palhaçada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: